Abaixo assinado dos servidores demitidos da Educação ganha força nas redes sociais em GV

Servidores da Educação de Valadares foram demitidos em massa em plena pandemia, com as demissões em massa os servidores organizaram um abaixo assinado virtual que circula nas redes sociais através do link http://chng.it/JYKBwNXV .  Foram registradas mais de 1.500 assinaturas, 1.115 compartilhamentos e mais de 6.442 visualizações até a edição desta matéria.

Como se não bastasse os impactos financeiros em diversos setores da inciativa privada, devido à pandemia causada pelo COVID-19, os prejuízos agora estão recaindo sobre os servidores públicos contratados em Governador Valadares.  No dia 10 de Junho foi publicado uma orientação da Secretaria Municipal de Educação (SMED) prenunciando uma dispensa em massa de 150 profissionais da Educação. Logo em seguida, no dia 19 foi comunicado a dispensa de professores, monitores e auxiliares de serviço público (ASP); designados para Educação Infantil.

Após tal comunicado dispensaram os profissionais através de meios de comunicação como ligações telefônicas, mensagens via aplicativo whatsapp, mas nada oficial. Por muitas vezes as dispensas foram feitas diretamente por seus respectivos diretores. “Recebi uma ligação me dizendo que eu não fazia mais parte do quadro de funcionários… não assinei nenhum documento até hoje… simplesmente os nossos nomes não são enviados para o quadro de funcionários”; afirma a Professora Josiane Souto Silva que foi demitida em junho.    

 Entretanto a atitude adotada pelo município se deu sob a alegação de que as dispensas foram para equilibrar as despesas e receitas e foi contestada pelos servidores dispensados, pois alegam que com o fechamento das escolas o município reduziu consideravelmente as despesas com luz, telefone, água, internet e merenda. Informaram também que os custos com o quadro de funcionários para esse ano de 2020 já estavam estimados através Lei Orçamentária Anual (LOA) votada pela Câmara Municipal no ano passado, o que não justifica a dispensa uma vez que o município arrecadou 15,55% a mais do que em 2019, no primeiro quadrimestre de 2020 .  

Os professores citaram também o fato de que o município tem recebido inúmeros recursos do governo federal e estadual, na cifra de milhões para custear despesas com a saúde e demais não previstas decorrentes da pandemia.

À vista disso, morando de aluguel com seus três filhos e sendo a única mantenedora do lar, a professora Josiane uma das servidoras dispensadas salientou a importância do ‘abaixo assinado dos servidores demitidos da Educação’ no intuito de ganhar força nas redes sociais e lamentou: “Me senti na obrigação de lutar… tenho esperança em retornar, pois eu investi em Educação e gosto do que eu faço.”

Abaixo assinado dos servidores demitidos da Educação ganha força nas redes sociais
Abaixo assinado dos servidores demitidos da Educação ganha força nas redes sociais

Abaixo assinado dos servidores demitidos da Educação ganha força nas redes sociais

Por Daniel Oliveira